Fizemos uma primeira analise. Algumas questões foram mal formuladas e verificaremos com calma trazendo as possibilidades de recurso após o gabarito.
Esperamos que este seja um ótimo recurso para você analisar sua prova.

 

____________________________________

  1. Essas diretrizes pautam-se pelas teorias pós-criticas do currículo, que apontam para a necessidade de construção da identidade dos estudantes enquanto sujeitos do conhecimento.

Correto. Mas ainda não encontrei a fundamentação. Se o texto fosse sobre o currículo em movimento estaria certamente correto.

 

  1. No currículo do ensino fundamental devem-se considerar as experiências escolares e as relações sociais.

Certo. Resolução 7 de 2010 “Art. 9º O currículo do Ensino Fundamental é entendido, nesta Resolução, como constituído pelas experiências escolares que se desdobram em torno do conhecimento, permeadas pelas relações sociais, buscando articular vivências e saberes dos alunos com os conhecimentos historicamente acumulados e contribuindo para construir as identidades dos estudantes

 

  1. O ensino religioso, de arte, e de educação física são facultativos, estando a cargo de cada sistema de ensino decidir sobre sua inclusão no ensino fundamental.

Errado. Não é em todo ensino fundamental.

 

74 . O currículo do ensino fundamental é constituído por partes distintas e desarticuladas: uma base comum e uma base diversificada.

Errado. O erro está em “partes distintas e diversificadas”. Segundo as DCNs Art. 14. § 3º “A base nacional comum e a parte diversificada não podem se constituir em dois blocos distintos, com disciplinas específicas para cada uma dessas partes.

 

  1. Na EJA a idade mínima para os estudantes cursarem o ensino médio é de 18 anos.

Certo. A partir da resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE), o documento definiu 15 anos como a idade mínima para a inscrição nas séries no nível fundamental e 18 para o Ensino médio.

 

  1. A EJA pode ser desenvolvida por meio da educação a distância em todos os níveis de escolaridade, desde que obedeça aos critérios de idade e carga horária mínima em educação presencial.

Errado. Decreto nº 5.622/2005. Artigo 31 Os cursos a distância para a Educação Básica de jovens e adultos que foram autorizados excepcionalmente com duração inferior a dois anos no Ensino Fundamental e um ano e meio no Ensino Médio deverão inscrever seus alunos em exames de certificação, para fins de conclusão do respectivo nível de ensino.

Art. 9º Os cursos de EJA desenvolvidos por meio da EAD, como reconhecimento do ambiente virtual como espaço de aprendizagem, serão restritos ao segundo segmento do Ensino Fundamental e ao Ensino Médio, com as seguintes características. RESOLUÇÃO Nº 3, DE 15 DE JUNHO DE 2010

 

  1. O aproveitamento de estudos e conhecimentos realizados antes do ingresso nos cursos de EJA é facultativo e deve ser regulamentado pelos sistemas de ensino.

Errado. Aproveitamento de estudos realizados antes do ingresso nos Cursos de EJA, bem como os critérios para verificação do rendimento escolar devem ser garantidos (Parecer 23/2008)

Art. 11. O aproveitamento de estudos e conhecimentos realizados antes do ingresso nos cursos de EJA, bem como os critérios para verificação do rendimento escolar, devem ser garantidos aos jovens e adultos, tal como prevê a LDB em seu artigo 24, transformados em horas-atividades a serem incorporados ao currículo escolar do(a) estudante, o que deve ser comunicado ao respectivo sistema de ensino. http://convivaeducacao.org.br/marcos-legais/educacao-jovem-adultos.pdf

 

  1. A duração dos cursos de EJA referentes aos anos iniciais do ensino fundamental é estabelecida de acordo com os critérios de cada sistema de ensino.

Certo. Art. 4º – Quanto à duração dos cursos presenciais de EJA, mantém-se a formulação do Parecer CNE/CEB no 29/2006, acrescentando o total de horas a serem cumpridas, independentemente da forma de organização curricular: I – para os anos iniciais do Ensino Fundamental, a duração deve ficar a critério dos sistemas de ensino;

 

  1. A Educação Escolar deve valorizar as opiniões dos estudantes, fazendo com que compreendam as implicações éticas e políticas decorrentes de suas afirmações.

Certo. “A escola precisa estar sempre preparada para apresentar não uma verdade absoluta, mas sim uma reflexão que possibilite aos alunos e às alunas compreenderem as implicações éticas e políticas de diferentes posições sobre o tema e construírem sua própria opinião nesse debate”. http://estatico.cnpq.br/portal/premios/2014/ig/pdf/genero_diversidade_escola_2009.pdf

 

  1. A aprendizagem cognitiva sobre a educação em e para direitos humanos é suficiente para a transformação das relações sociais.

Errado. O erro está em “suficiente”, somente a aprendizagem cognitiva não é suficiente.

 

  1. As relações de gênero, ao serem trabalhadas como tema transversal da educação básica, devem ser abordadas como fenômeno de ordem cultural.

ERRADO. Não são culturais e sim sociais, segundo as DCNs “atualmente, reivindica-se a inclusão da categoria de gênero, assim como etnia, na análise dos fenômenos sociais, com o objetivo de retirar da invisibilidade as diferenças existentes entre os seres humanos que, por vezes, encobrem discriminações”

 

  1. Os conhecimentos escolares e científicos devem ser apresentados como verdades absolutas.

Errado. Não devem ser apresentados como verdades absolutas! Pegadinha do “NÃO”.

 

  1. Os movimentos populares fortalecem a educação popular, contrapondo-os ás instituições estatais e escolares.

Errado. “A Educação Popular desenvolve-se com ênfases diferentes, segundo os grupos políticos, sociais e eclesiais que a impulsionam: setores de esquerda partidária, comunidades eclesiais de base, instituições de pesquisa e educação, que assumem esta perspectiva de formação com matizes próprios de diferença(Educação popular na América Latina: diálogos e perspectivas p.213).

 

  1. Para a pedagogia crítico-social dos conteúdos, o papel da escola é difundir conteúdos indissociáveis das realidades sociais.

Certo. Segundo Luckesi (2003, p. 69) “A difusão de conteúdos é primordial, não conteúdos abstratos, mas vivos, concreto e, portanto, indissociáveis das realidades sociais”.

 

  1. Para a pedagogia histórico-critica, a prática educativa parte de uma situação hipotética e tem como finalidade a prática social.

Errado. O erro está em “situação hipotética”, parte do conhecimento da realidade.

 

  1. As pedagogias contra-hegemônicas cultivaram ideias homogêneas de fundação marxista.

Errado. Não cultivam ideias homogêneas. O objetivo não é a homogeneização da turma e sim da oportunidade de acesso ao  conhecimento clássico construído coletivamente pela sociedade ao longo da história.

 

  1. A interação humana possui valor pedagógico fundamental pois é por intermédio das relações professor-aluno e aluno-professor que o conhecimento se constrói coletivamente.

Certo. Segundo Haydt (1995), no processo de construção do conhecimento, o valor pedagógico da interação humana é ainda mais evidente, pois é por intermédio da relação professore aluno e da relação aluno–aluno que o conhecimento vai sendo coletivamente construído

 

  1. Os aspectos cognoscitivos correspondem aos conteúdos ensinados pela escola e as tarefas relacionadas à aprendizagem.

Errado. Cognoscitivos (processos e estruturas cognitivas) não são conteúdos e tarefas ensinados. “Capacidades cognoscitivas: “São energias mentais disponíveis nos indivíduos ativadas e desenvolvidas no processo de ensino em estreita relação com os conhecimentos. Do complexo de capacidade cognoscitivas podemos destacar – exercitação do sentido. A observação, percepção, a vontade, a compreensão, a generalização, o raciocínio a memória, a linguagem, a motivação.”

 

  1. A exigência de que o professor trace os objetivos, organize o planejamento da aula e busque formas de estabelecer uma comunicação que garanta a aprendizagem efetiva está diretamente relacionada ao aspecto socioemocional.

Errado. Socioemocionais: “Mediar o compartilhar relaciona-se diretamente com o desenvolvimento das habilidades socioemocionais, ou seja, Dos vários aspectos subjetivos inerentes a situações de interação com os grupos de pertencimento, como por exemplo: lidar com as emoções (próprias e dos outros), expressar-se de maneira clara , saber ouvir, aceitar e respeitar diferentes pontos de vista e regras de convivência, buscar o equilíbrio entre os objetivos pessoais  e os grupais, trabalhar em equipe para solucionar problemas de forma colaborativa, resolver conflitos, entre outras”.

 

  1. As relações pessoais estabelecidas entre o educador e a turma relacionam-se ao aspecto socioemocional.

Correto. Ver Fragmento da questão anterior.

 

  1. Na relação professor-aluno é frequente se confundir com autoridade com autoritarismo, uma vez que tanto este quanto aquele são consequência natural do processo de acumulo de conhecimento técnico pelo professor e da preocupação deste com a evolução do aluno na construção do conhecimento.

Errado. Paulo Freire.

 

  1. A teoria da epistemologia genética defende que o conhecimento se constrói gradativamente, a medida que as estruturas mentais e cognitivas vão se organizando ao longo dos estágios do desenvolvimento.

Certo. Teoria de Piaget

 

  1. A instrução programada é um processo linear que prevê uma atividade pratica na qual a função do professor é apresentar um conjunto de conhecimentos para o aluno e reforçar positivamente as respostas desejáveis, a fim de estimula-lo a continuar apresentando essas respostas.

Certo. Fundamentação está aqui: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75901977000300012

 

  1. Segundo a teoria sócio-histórica faz-se necessário distinguir entre dois níveis de desenvolvimento: o primeiro deles é o nível de desenvolvimento real e o segundo é o nível de desenvolvimento potencial.

Correto. Lembre-se que são dois níveis e uma zona de desenvolvimento.

 

  1. Conforme a teoria da aprendizagem por descoberta, o crescimento cognitivo da criança se dá por assimilação e acomodação e, para isso, o individuo constrói esquemas mentais de assimilação para abordar a realidade. Essa teoria baseia-se nos pressupostos de que todo esquema de assimilação é construído e toda abordagem da realidade supõe um esquema de assimilação

Errado. Teoria da aprendizagem por descoberta (Brunner) enquanto assimilação e acomodação (Piaget). Misturou conceitos.

” Aprendizagem por descoberta: Termo utilizado por Bruner para descrever a forma de aprendizagem que resulta, não da simples memorização ou condicionamento, mas de uma exploração ativa de alternativas por parte do aluno. Ele defende que a aprendizagem adquirida pela descoberta é mais significativa e duradoura do que aquela adquirida através da memorização”.

 

http://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/a-aprendizagem-por-descoberta.htmhttp://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/a-aprendizagem-por-descoberta.htm

Correia Hermenegildo

 

  1. Segundo a teoria socioafetiva o ato mental se desenvolve necessariamente a partir do ato motor, intermediado por um processo cuja explicação desenvolve-se -à mais adiante. Dai advém a afirmação de que essa teoria tem como eixo principal a motricidade.

Certo. Wallon! Apesar da dimensão afetiva ocupar lugar central na teoria walloniana, como em nenhuma outra, o seu grande eixo é a questão da motricidade, posto que, para ele, o ato mental se desenvolve necessariamente a partir do ato motor, intermediado por um processo cuja explicação desenvolver-se-á mais adiante.

 

  1. Conforme a teoria da aprendizagem significativa as ideias são expressas simbolicamente e interagem de maneira substantiva e não arbitraria com aquilo que o aprendiz já sabe. Nesse caso, substantiva quer dizer não literal, e não arbitrária significa que a interação não se dá com qualquer ideia previa, mas sim, com algum conhecimento especificamente relevante já existente na estrutura cognitiva do sujeito que aprende.

Certo. Aprendizagem significativa é aquela em que ideias expressas simbolicamente interagem de maneira substantiva e não-arbitrária com aquilo que o aprendiz já sabe. Substantiva quer dizer não-literal, não ao pé-da-letra, e não-arbitrária significa que a interação não é com qualquer ideia prévia, mas sim com algum conhecimento especificamente relevante já existente na estrutura cognitiva do sujeito que aprende. Citação literal encontrada aqui: http://moreira.if.ufrgs.br/oqueeafinal.pdf

 

  1. A tipologia dos conteúdos defende que para os conteúdos serem ensinados em sala de aula se diferem da forma tradicional, é preciso pensar em um conjunto de aprendizagens que sejam designadas como factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais. Os conteúdos conceituais relacionam-se com conceitos propriamente ditos e referem-se ao conjunto de fatos, objetos ou símbolos que possuem características comuns.

Certo.

 

  1. O objetivo geral expressa de forma exclusiva as expectativas do professor sobre o que ele deseja obter dos alunos no processo de ensino. Ao iniciar o planejamento, o professor deve analisar e prever quais resultados ele pretende obter com relação à aprendizagem dos alunos.

Errado. Objetivos Gerais expressam propósitos mais amplos acerca do papel da escola e do ensino.

 

  1. No plano de aula, o professor deve especificar o que será realizado na sala de aula, buscando aprimorar a sua prática pedagógica, bem como melhorar o aprendizado dos alunos.

Certo. “Um plano de aula é um instrumento de trabalho do professor, nele o docente especifica o que será realizado dentro da sala, buscando com isso aprimorar a sua prática pedagógica bem como melhorar o aprendizado dos alunos.”( Marco Aurélio da Silva)

 

  1. Planejamento é o processo de reflexão para se tomar uma decisão, ele é permanente. O plano, que representa o produto, aquilo que pode ser explicitado em forma de registro, é provisório.

Certo. Planejamento é o processo, contínuo e dinâmico, de reflexão, tomada de decisão, colocação em prática e acompanhamento. Plano é o produto desta reflexão e tomada de decisão, que como tal pode ser explicitado em forma de registro, de documento ou não: “Poderá tão-somente ser assumido como uma decisão e permanecer na memória viva como guia da ação. Aliás, só como memória viva ele faz sentido” (Luckesi, 1984: 211).

Vasconcellos (2000) trata o planejamento como um processo contínuo e dinâmico de reflexão, de tomada de decisão, de colocação em prática e de acompanhamento. Já o Plano é um produto desta reflexão e tomada de decisão que, enquanto tal, pode ser explicitado em forma de registro ou não. Nesta abordagem o planejamento, enquanto processo, é permanente; enquanto o plano é provisório.

 

  1. A orientação de aprendizagem para adultos buscar-se em assuntos ou matérias.

Errado. Orientação para aprendizagem: o adulto aprende melhor quando os conceitos apresentados estão contextualizados para alguma aplicação e utilidade.

 

  1. Na EJA, a aprendizagem deve estar centrada primordialmente no aluno, na independência e na autogestão da aprendizagem.

Certo. Segundo Oliveira (2009), em reconhecimento para tais especificidades, a andragogia está centrada no aluno, na independência, na autogestão.

 

  1. A andragogia defende que adulto, assim como as crianças, devem aprender o que a sociedade espera que eles saibam, por meio de um currículo padronizado.

Errado. O erro está em “currículo padronizado” ele deve ser flexível. (comentários na aula)

 

  1. A avaliação somativa, que se dá a partir de processos de decisão e de julgamento, tem como foco a classificação dos alunos de acordo com os níveis de desempenhos preestabelecidos e, geralmente, ocorre no final do processo de ensino-aprendizagem.

Certo. (comentários na aula)

 

  1. Na avaliação diagnóstica, identifica-se a situação socioeconômica do aluno com o objetivo de distinguir se os eventuais problemas que ele apresenta serão de natureza física, moral, familiar ou psicológica.

Errado. A avaliação socioeconômica é o instrumento utilizado para identificar o perfil socioeconômico do estudante. É diferente de avaliação diagnostica. Trocaram os conceitos.

 

  1. A avaliação formativa, visa acompanhar, de forma contínua, o desempenho do aluno durante o processo de ensino-aprendizagem.

Certo. Avaliação formativa e o processo de ensino-aprendizagem (vimos na aula).

 

  1. A formação continuada dos professores é importante para a percepção de novas prática pedagógicas, tanto do cotidiano escolar quanto de outras questões que perpassam a prática pedagógica.

Certo.

 

  1. A concepção de formação continuada, pautada em uma política reflexiva, é enriquecida quando se desenvolve no próprio contexto escolar, privilegiando-se a escola como locus de formação.

Perfeito. Definição de Vera Candau (vimos na aula).

 

  1. A boa formação profissional do professor implica uma contínua integração entre teoria e prática: a teoria vinculada aos problemas reais postos pela experiência prática e a ação prática orientada teoricamente.

Certo. “A formação profissional do professor implica, pois, uma contínua interpenetração entre teoria e prática, a teoria vinculada aos problemas reais postos pela experiência prática e a ação prática orientada teoricamente”(LIBÂNEO, 1994, apud ALVAREZ, 2010,p.244).

 

  1. A técnica de discussão e debate é composta pelos seguintes procedimentos: distribuição e escolha das temáticas que serão investigadas ; delimitação do tempo e das funções dos participantes (coordenação, debatedores e grupo de síntese); estudo aprofundado de temáticas ou problemas sob diferentes perspectivas; construção de relatórios.

Errado. É a definição de seminário. http://www.uepg.br/formped/disciplinas/OrganizacaoTrabalho/DIDATICA.pdf

 

  1. Na técnica do mapa conceitual, os conceitos são abordados em uma perspectiva bidimensional, mostrando as relações hierárquicas entre os conceitos pertinentes ao conteúdo abordado.

Certo. Quando bidimensionais, os mapas conceituais denotam um […] passo à frente, pois promovem conexões verticais – que particularizam os mapas unidimensionais – e também horizontais, favorecendo uma visão mais completa das relações entre os conceitos […]. (Moreira, 2006, p. 46)

 

  1. Na técnica do júri simulado, devem-se observar, na avaliação, as habilidades da apresentação das ideias – concisão, logicidade, aplicabilidade e pertinência – e seu desempenho na descoberta de soluções apropriadas ao problema apresentado.

Errado. Tempestade cerebral. http://www.bahiana.edu.br/CMS/Uploads/Avalia%C3%A7%C3%A3o%20ensino%20e%20aprendizagem.pdf

 

  1. Em uma aula expositiva dialogada, o professor deve levar os alunos a questionar, interpretar e discutir o conteúdo a partir do reconhecimento e da identificação com a realidade e com conteúdos prévios, devendo, ainda, almejar a superação da passividade intelectual dos alunos.

Certo. Pina, Saraiva e Souto (2004, p.8): É uma técnica que estimula a atividade e a iniciativa dos alunos sem prescindir da iniciativa do professor, fornece o diálogo entre docente e discente, e de alunos entre si sem cair numa prática permissiva, mas sim em uma prática que considera os interesses e experiências dos educandos sem desviar-se da sistematização lógica dos conteúdos previstos nos programas de ensino.

 

  1. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a EJA valorizam, entre outros aspectos, as especificidades de tempo e espaço para os educandos, dando importância para a distinção das duas faixas etárias (jovens e adultos), dessa modalidade de educação.

Certa. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos passaram a valorizar ainda: as especificidades de tempo e espaço para seus educandos;  a importância em se distinguir as duas faixas etárias (jovens e adultos) consignadas nesta modalidade de educação; e

 

  1. Em detrimento do acesso à cultura regional, Diretrizes Curriculares Nacionais para a EJA estabelecem a formação técnica como finalidade e objetivo exclusivos dessa modalidade de educação.

O erro está em detrimento (com prejuízo). E exclusiva (não é só na EJA).

 

  1. A proposta metodológica das práticas pedagógicas da EJA devem considerar os três eixos articuladores propostos para as diretrizes curriculares: cultura, trabalho e tempo, os quais deverão estar inter-relacionados. Nesse sentido, considerar o tempo como um dos eixos implica compreender as suas variantes: o tempo escolar e o tempo pedagógico.

Errado. “A proposta metodológica das práticas pedagógicas da EJA deve considerar os três eixos articuladores propostos para as Diretrizes Curriculares: cultura, trabalho e tempo, os quais deverão estar inter-relacionados. Como eixo principal, a CULTURA norteará a ação pedagógica, haja vista que dela emanam as manifestações humanas, entre elas o trabalho e o tempo”. http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/diretrizes/dce_eja.pdf

 

  1. A utilização de recursos tecnológicos exige, além de uma preparação adequada dos professores, um projeto educacional que articule o trabalho do professor com o uso dessas tecnologias, sob pena de se manterem velhas práticas, com um caráter pretensamente moderno e mais caras.

Certo. Evitar velhas práticas com novas roupagens.

 

  1. A sala de aula não é o único lugar onde ocorre a aprendizagem, pois a comunicação pode proporcionar, por variados meios, a formação de diferente ambiente de aprendizagem e uma maior participação dos alunos nas relações de ensino.

Certo. “a sala de aula não é o único lugar onde ocorre a aprendizagem e que a comunicação pode proporcionar, através de variados meios, a formação de diferentes ambientes de aprendizagem e uma maior participação dos alunos nas relações de ensino.”

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1381-8.pdf

 

  1. Multimídia é o conjunto de diferentes meios de comunicação (meios digitais, tais como texto, gráfico, imagem, áudio, animação, vídeo) que possibilitam transmitir de alguma forma as informações.

Certo. Multimídia é o conjunto dos mais variados meios de comunicação (meios digitais, tais como texto, gráfico, imagem, áudio, animação, vídeo) que visam transmitir de alguma forma as informações. (Schnotz e Bannert, 2003; Akkoyunlu e Yilmaz, 2005; Montazemi, 2006; Rose e Fernlund, 2009). http://www.anpad.org.br/diversos/trabalhos/EnEPQ/enepq_2013/2013_EnEPQ187.pdf